quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

População tenta desvincular-se da política e busca sua independência financeira através de pequenos negócios

O cidadão de bem, aquele que luta diariamente para manter-se afastado dos políticos (e não da política), tem reclamado da falta de oportunidade nas pequenas cidades, onde o dinheiro circula pouco e não há expectativas quanto ao futuro, quando se trata de crescimento econômico nessas cidades. Muitos não desistem e estão a batalhar quase que diuturnamente, para manter-se longe desses políticos corruptos e centralizadores, que agraciam apenas seu pequeno e seleto grupo de amigos, enquanto que a população sofre com o descaso nas gestões públicas municipais. É necessário acreditar em si e na capacidade de cada um, ao invés de está correndo atrás de políticos que humilham o eleitor, quando este procura o executivo para reivindicar o que lhes é de deito, que são as políticas públicas de acesso a todo e qualquer cidadão. Muitos prefeitos quando sentam na cadeira de gestor, se acham o dono da cidade e se vêem no direito de humilhar o cidadão de bem. Para que isso não aconteça mais, é que muitos cidadão estão buscando sua independência financeira através de pequenos negócios, chamados de pequeno empreendedor. Vida de pequeno empreendedor não é fácil, você sabe bem. Quem não quer alcançar a independência financeira?

"É importante não confundir a independência financeira como aposentadoria ou parar de trabalhar. Eu acredito que ser financeiramente independente é ser livre. Ter liberdade para trabalhar exclusivamente com o que gostamos". (Rafael Seabra)

Uma das melhores formas de conquistar a independência financeira e trabalhar com o que gosta é ser o seu próprio patrão. Abrir um negócio não é fácil, exige muita dedicação, foco e, é claro, algum capital para investir. Espetinhos, bolos, tortas, cocadas, tapioca, costura, etc são alguns dos negócios familiares que vem dando certo.

O dependente, nesse caso específico, é aquele que todos os dias precisa vender o próprio tempo para algum político em troca de um salário no final do mês.

“E eu não sei pedir. Meu Deus, eu não sei pedir ajuda. Nunca gostei de depender dos outros. E tem mais: não consigo dizer eu-preciso-de-você-agora. Sei que é simples, mas não sai. Algo me trava, a voz não sai. Tenho um orgulho que não me deixa. Acho que tenho que ser a fortona do pedaço, que consigo me reconstruir, me levantar sem dar a mão para ninguém. Não gosto de admitir nem assumir fraquezas nem de demonstrar a minha própria fragilidade. As pessoas fazem SOS a todo instante. Choram, pedem, imploram, suplicam. Não consigo. Para mim isso é traição. Não consigo chegar para a outra pessoa e falar tô-acabada-tô-precisando-não-vou-conseguir-sozinha. Sinto um terror só de pensar.” (Clarissa Corrêa)

O que é o MEI
Antes de tudo é importante estar bem informado sobre o Microempreendedor Individual para tomar a decisão de se tornar um MEI, pois embora seja um negócio de porte pequeno, trata-se da criação de uma empresa com obrigações e responsabilidade.

Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário, podendo se enquadrar em uma ou mais atividades no único CNPJ e ter somente um empregado.

Como se inscrever
Os procedimentos para o Microempreendedor Individual são realizados através do Portal do Empreendedor - MEI, no site ww.portaldoempreendedor.gov.br. Seja inscrição, alteração, impressão de DAS, declaração anual ou baixa.