sábado, 2 de dezembro de 2017

Hospital Laureano realiza 120 mil atendimentos por ano e médica faz alerta para hábitos saudáveis

No Dia Nacional de Nacional de Combate ao Câncer, a diretora geral do Hospital Napoleão Laureano, a enfermeira Tereza Lira, faz um alerta para a importância da adoção de hábitos de vida saudáveis para a prevenção da doença. O maior hospital de tratamento do câncer no Estado realiza uma média de 120 mil atendimentos por ano só na parte ambulatorial da unidade, entre adultos e crianças. São cerca de 175 mil ano aplicações de radioterapia e 36 mil pacientes em tratamento de quimioterapia por ano.

Para a diretora do hospital, os números refletem a boa capacidade técnica do Laureano, mas que poderiam ser ainda maiores, caso a estrutura da unidade contasse com mais aporte financeiro. Por isso, para ela, o número de pessoas que precisam de tratamento especializado cresce ano a ano e, só é possível acompanhar essa demanda crescente, com uma maior estrutura. A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Laureano recebe uma média de 160 internações ao mês. A unidade realiza cerca de 520 cirurgias e 450 internações mensais. 

Ela comentou que ainda não foi identificada uma causa determinante para o surgimento da doença e que as formas de prevenção estão ligadas praticamente ao estilo de vida e ao acompanhamento periódico da saúde, através da realização de exames. “A prática de atividades físicas regulares, o cuidado com exposição ao sol, aliado ao cuidado com a alimentação e ficar longe do consumo de bebidas alcoólicas e do cigarro, são os principais indicativos para evitar a doença. Sabemos que isso contribui diretamente, mas não existe como prevenir 100%”, alertou. 

Números – O número de mortes no Brasil por conta de câncer aumentou 31% desde 2000 e chegou a 223,4 mil pessoas por ano no final de 2015. Os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Na Paraíba, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que em 2017, o Estado deve registrar 8.250 novos casos de câncer, sendo 4.110 entre homens e 4.140 entre as mulheres. Os tipos mais comuns nos homens paraibanos são os de próstata, pele não melanoma e estômago. Entre as mulheres, os mais comuns são pele não melanoma, mama e colo do útero.

Assessoria