segunda-feira, 6 de novembro de 2017

PEGOU MAL: O dia em que Nabor traiu Maranhão para agradar o governador em Patos

Segue repercutindo dentro do PMDB recente iniciativa do deputado Nabor Wanderley que, durante um evento na região de Patos, levou mais de uma dezena de prefeitos de seu partido para anunciar apoio à candidatura do secretário João Azevedo (Infraestrutura), do PSB. O fato causou muita estranheza no PMDB, à medida que o partido tem um candidato pré-lançado, que é o senador Zé Maranhão.

O caso, até onde se pode apurar, provocou fissuras na relação com o presidente do PMDB, que sempre teve no grupo Motta em Patos um de seus principais pilares. A ofensiva de Nabor foi vista, dentro do PMDB, como uma provocação e uma demonstração de desapreço contra o senador. Nabor, que é declarado aliado do governador Ricardo Coutinho, arriscou tudo na operação. E chamuscou a imagem.

O detalhe é que, entre aliados mais próximos do senador, existe a suspeita de que a estratégia do governador, inclusive quanto tentou se aproximar de Maranhão, foi a de atrair o senador para tentar esvaziar o PMDB, atraindo prefeitos, vereadores e outras lideranças do partido, através de prepostos seus dentro do partido, como é o caso de Nabor e do deputado Veneziano, entre outros. E parece que procede.

No evento, Nabor ainda proclamou que todos deveriam “unir forças para o trabalho seguir em frente”, ou seja, o slogan central do governador aplicado na campanha de Azevedo.

Prefeitos – Presentes os prefeitos nego de Guri (Teixeira), Nael Rosa (Malta), Umberto Jeferson (São Mamede), Cláudia Macário (Quixaba), Doutor Orir (Catingueira), Dedé Paulo (Santana dos Garrotes), Rosalba Motta (São José do Bonfim), Cirno (Mãe D’água), Luís Galvão (Jurú), Zezé (Santa Luzia), Rogério Campos (Cacimba de Areia) e Sérgio Garcia (Vista Serrana).


Blog do Helder Moura