quinta-feira, 2 de novembro de 2017

A grave troca de acusações sobre crimes entre Ricardo e Manoel Jr.

    O governador Ricardo Coutinho (PSB) e o vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior (PMDB), têm trocado acusações um tanto graves por meio da imprensa. Um acusa o outro de envolvimento em assassinatos e, de quebra, fazem ilações sobre outros temas nada republicanos. Os dois crimes tiveram grande repercussão na Paraíba e, ainda hoje, reservam lampejos de mistério sobre a autoria. O primeiro tem a ver com a morte do jovem Bruno Ernesto, ex-servidor da Prefeitura de João Pessoa. Já o segundo de é um ex-vereador de Itambé (PE), morto enquanto veraneava no Litoral Sul da Paraíba.

    Tudo começou com o vice-prefeito desafiando o governador a liberar o sigilo sobre as investigações do programa Jampa Digital. Neste processo, que corre em segredo de Justiça, a Polícia Federal apontou suposto beneficiamento do então prefeito de João Pessoa com recursos que teriam sido desviados do programa. Anos depois, a morte de Bruno Ernesto fez surgir especulações sobre uma suposta queima de arquivo. Ainda mais depois de declarações da ex-primeira-dama da Paraíba, Pâmela Bório. Apesar disso, há pouca informação sobre o processo, por conta do caráter sigiloso da tramitação. Ernesto era servidor do setor de TI da prefeitura.

    “Desafio o governador a abrir o sigilo do crime que envolve o garoto Bruno Ernesto, que o CPF dele está la no inquérito deste crime, a provocação que ele me fez eu aceito plenamente”, declarou Manoel Júnior, com claro desafio ao governador Ricardo Coutinho. Os dois são adversários políticos desde quando o peemedebista deixou o cargo de vice no primeiro mandato do socialista. Júnior foi eleito deputado federal e, desde então, integra o bloco do partido que faz oposição ao hoje governador paraibano. Coutinho diz ter um fato grave a revelar sobre a proposta que teria resultado no rompimento da aliança.

    Ao ser questionado sobre o assunto, em Patos, nesta quarta-feira, o governador disse que tinha um nome limpo e devolveu o desafio a Manoel Júnior. Foi no programa de Abrantes Júnior, na Rádio Espinharas de Patos. “O senhor Manoel Junior é uma pessoa conhecida. Ainda bem que não frequento onde ele frequenta e nunca quis frequentar. Porque se ele fizer um outro comentário desse eu vou dizer publicamente poque ele rompeu comigo na prefeitura de João Pessoa. Qual foi a proposta que ele me trouxe e saiu com raiva pela resposta que eu dei”, disse.

    “Não tenho dúvidas, como Manuel Matos, lá em Pedras de Fogo, militante dos direitos humanos assassinado. Eu gostaria muito de ouvir uma palavra do senhor Manoel Junior a respeito disso, antes claro, que Eduardo Cunha fale, porque quando isso acontecer provavelmente eu não ouvirei nenhuma palavra”, ironizou Ricardo Coutinho. O socialista disse ainda que o adversário precisa dar explicações antes que seja denunciado pelo ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O peemedebista era aliado do vice-prefeito e se encontra preso no Paraná.


    Blog do Suetoni