domingo, 8 de outubro de 2017

Patos sediou o 3º Encontro Sertanejo do Leite durante a Feira do Empreendedor; O evento reuniu cerca de 90 participantes de toda a cadeia produtiva do leite do Sertão

Para estimular a produtividade leiteira, foi realizado, durante a 7ª Feira do Empreendedor na cidade de Patos, Sertão paraibano, o 3º Encontro Sertanejo do Leite (Enserleite). O evento reuniu toda a cadeia produtiva do leite da região neste sábado (7), no auditório da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) durante todo o dia. Cerca de 90 produtores, técnicos e demais interessados na atividade compareceram.

Duas palestras e duas oficinas foram organizadas pela equipe do Sebrae em Sousa para esta edição do Encontro. A partir das 9h30, o engenheiro agrônomo Paulo Suassuna falou sobre “A tecnologia do cultivo intensivo da palma (TCIP) – aplicada em pequenas propriedades rurais do Semiárido brasileiro e sua agroindustrialização”. Em seguida, foi a vez do zootecnista Felipe Lins, que falou sobre “A importância da mineralização para o gado de leite”.

Na parte da tarde, até as 15h, os participantes puderam se capacitar na oficina “Formas de ofertas de dietas para bovino”, com Felipe Lins. O outro palestrante Paulo Suassuna ministrou a oficina seguinte, intitulada “Sistema de plantio de palma e sua adubação”. A partir das 17h, todos os participantes foram levados para uma visita à Feira do Empreendedor, no Rodoshopping Edvaldo Motta.

Na visita, os produtores participaram do Espaço do Agronegócio, que ofereceu cerca de 60 oficinas e capacitações ligadas às atividades rurais, da quinta-feira (5) ao domingo (8). O Espaço ainda realizou atividades em campo, com visitas as fazendas Tamanduá em Patos, Carnaúbas, em Taperoá e Areia Branca em Pombal.

O participante do Enserleite e produtor leiteiro, Francisco Fábio Pires, disse que achou muito importante o evento. Ele possui a propriedade LR Agropecuária, na cidade de São João do Rio do Peixe, no Sertão, onde houve um Dia de Campo promovido pelo Sebrae, em setembro. Francisco disse que, atualmente, a sua produção gira em torno de 11.850 litros de leite. Seu rebanho possui 120 cabeças bovinas, sendo 85 matrizes vacas e bezerras.

“Achei o evento importante, principalmente para difundir as novas tecnologias. Quando soube das duas palestras, quis participar. Vou utilizar mais os conhecimentos de loteamento de vacas, que é a separação pela produção. Neste processo, aplicamos uma dieta especial para as matrizes, o que faz o leite ficar mais forte e saudável”, explicou.

Para o gestor do projeto Encadeamento Produtivo da Agroindústria do Leite do Sebrae em Sousa, Fabrício Vitorino, o evento orientou bovinocultores para as técnicas atuais de criação e manejo dos rebanhos. “Todos aprenderam sobre uma melhor produção e produtividade, sobre como preparar um alimento mais rico em nutrientes para os animais. Com isso, cumprimos nossa meta, de capacitar o produtor de uma região seca com técnicas apropriadas ao semiárido”, falou.

Ele convidou os produtores a visitarem o Sebrae em Sousa, onde uma equipe técnica fará encaminhamentos para parcerias institucionais que apoiam a atividade.

Da Redação
Com Assessoria