quarta-feira, 30 de agosto de 2017

DIA DO VAQUEIRO: Tovar lembra que lei regulamentou vaquejada e impediu suspensão da prática na Paraíba

No dia do Vaqueiro, 29 de agosto, o deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB) lembrou a promulgação da Lei nº 10.961 que considera a vaquejada patrimônio cultural imaterial da Paraíba. A propositura é de autoria do parlamentar e garante a prática desse esporte que gera emprego e renda no Estado. “Nesta data quero parabenizar todos os vaqueiros, não só os que participam das vaquejadas, e lembrar esses profissionais estão no dia a dia das propriedades, cuidando dos rebanhos e ajudando a movimentar a nossa economia”, disse.

Em todo o Brasil, a prática gera cerca de 700 mil empregos. “A vaquejada é uma tradição do povo nordestino e hoje a prática já é realizada em todo o Brasil. Quem acompanha a vaquejada sabe que existem formas de realizar o evento que permitem perfeitamente o cuidado com os animais. Não se pode acabar com essa cultura e dessa forma, apresentamos esse projeto para que esse esporte seja um patrimônio dos paraibanos”, afirmou o deputado.

Tovar destacou que a matéria se coaduna com o artigo 216 da Constituição Federal quando define como constituintes o patrimônio cultural brasileiro os bens de natureza material e imaterial, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos da sociedade brasileira, neles incluídos, entre outros, as formas de expressão e os modos de criar, fazer e viver.

Profissão vaqueiro- A profissão de vaqueiro é regulamentada pela Lei 12.870. De acordo com a legislação, são atribuições desse profissional alimentar os animais, fazer a ordenha, treinar e preparar animais para eventos culturais e socioesportivos com a garantia de que não sejam submetidos a atos de violência e, sob a orientação de veterinários e técnicos qualificados, auxiliar com os cuidados necessários à reprodução das espécies.

Da Redação
Assessoria