domingo, 2 de julho de 2017

Em que as eleições de 2018 vai influenciar nas decisões políticas em Piancó

É notório que nas pequenas cidades do Vale do Piancó as pessoas, mesmo com cursos profissionalizantes e competência extrema, tem que se socorrer de lideranças políticas para conseguir um trabalho (emprego?). Os concursos públicos são a opção mais viável, enquanto não ocorrem, as pessoas buscam os líderes políticos para uma indicação em um cargo comissionado (no Estado ou Município). E é ai que entra a questão política do apadrinhamento. Votos são dados a determinados candidatos com o intuito de, este sendo eleito, se conseguir um emprego. O eleito consegue emprego para seus aliados no Município, quando trata de campanha eleitoral municipal. E sempre os que ficam de fora (que perde as eleições) quando são aliados do governador de plantão, encontram alguns espaços dentro da esfera estadual, em órgãos públicos existentes no município. 

No caso de Piancó a preocupação é grande com relação as eleições do ano que vem. Diga-se de passagem que o governador Ricardo Coutinho (PSB), está sem um nome para substituí-lo, concorrendo as eleições de 2018. O governador já declarou que não deixará o mandato, dando a entender que ele não pretende concorrer a nenhum cargo eletivo. E diante desse quadro, o nome que mais se destaca atualmente, é o do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD). Luciano é aliado do prefeito de Piancó, Daniel Galdino, que também faz parte do PSD. Em se confirmando uma união das oposições para as eleições de 2018, Luciano pode sair fortalecido, e chegar até o Palácio da Redenção. Ricardo pode até unir-se a Luciano, já que ambos foram fundadores e filiados do PT (Partido dos Trabalhadores) durante anos. Iniciaram suas vidas políticas nesse partido. Com tempo, ambos seguiram linhas diferentes, Ricardo foi para o PSB e Luciano para o PSD. Diante desse quadro o eleitor piancoense (Piancó como exemplo para o Vale), se vê numa situação delicada, especialmente os que hoje ocupam cargos de confiança (e codificados), no Estado em repartições estaduais no município. 


Em se confirmando a união das Oposições, até mesmo com o apoio da Situação na pessoa de Ricardo, quem vai liderar a campanha em Piancó?

Bem, o nome que mais empolga as lideranças estaduais, é o da ex-prefeita Flávia Serra Galdino (prefeita de Piancó por dois mandatos consecutivos). E assim sendo, os cargos de nível estadual com espaço na cidade piancoense, ficarão à disposição da ex-prefeita. Quem imaginar o contrário, pode ser decepcionado. Não existe outro nome capaz de coordenar uma campanha estadual no Vale do Piancó, semelhante a Flávia Serra Galdino.

Esse tema vem tirando o sono de muitas pessoas e alguns já se apercebem que é bom ficar de boca fechada, o invés de estar usando as redes sociais para denegrir a imagem do prefeito Daniel Galdino. O futuro da política em Piancó é bem legível. Só não ver quem não quer.

Os vereadores que hoje se dizem Oposição, podem ter que calar sua boca quando de críticas direcionadas a gestão municipal. Pois muitos são detentores de cargos (ou indicaram pessoas para cargos), no Estado e um comentário raivoso, pode respingar em seus eleitores, em si próprios, no próximo ano, e consequentemente, em janeiro de 2019.

O eleitor ou o simples político que não tem independência eleitoral, deve tomar certos cuidados, pois muitos querem continuar na vida pública, e para tal, há a necessidade de se pensar, antes de falar.

oblogdepianco.com.br