quinta-feira, 29 de junho de 2017

Qual a reação de um pai ao saber que seu filho está usando drogas?

(Imagem meramente ilustrativa de Internet/Reprodução)
O uso de drogas era relacionado aos grandes centros de nosso País, e hoje se torna um ponto preocupante nas pequenas cidade, inclusive do Sertão paraibano, em destaque para o Vale e com tamanha preocupação, para a cidade de Piancó. Os pais estão cada vez mais envolvido na tarefa árdua de conscientizar seus filhos para que não experimente qualquer tipo de drogas. O uso comum da maconha era tido como uma droga até então inofensiva, quando a maior parte das autoridades luta pela proibição do cigarro comum. Um disparate: Enquanto quer se proibir o cigarro, outros querem a descriminalização das drogas, a exemplo da Maconha. Dizem que o caminho para a solução do tráfico, é a liberação do consumo dessa droga. Em 20 de agosto de 2015,  Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), votou a favor da descriminalização do porte de drogas para consumo pessoal. A decisão repercutiu pelo país, mas até agora não teve uma decisão final.

Como reage um pai ao perceber que seu filho, menor de idade, está usando drogas, a exemplos do Crack, Maconha e até Cocaína?  
A difícil pergunta que muitos pais precisam fazer ao longo da vida dos filhos engloba muito mais do que a própria dependência em si, como explica o Dr. Rogerio Morihisa nesta entrevista exclusiva para o Portal Memória Olímpica. Falar sobre drogas implica, necessariamente, em discutir temas como prevenção às drogas, tratamento, problemas comportamentais, violência e o papel da família, dos professores e do Estado.

Em Piancó a polícia vem recriminando o uso e o trafico, que já se tornou algo preocupante. Em várias cidade do Vale do Piancó o problema aumenta a cada dia, e junto vem a preocupação dos pais e da própria sociedade. Pois muitos que querem sustentar o vício, não tem dinheiro e terminam por cometer alguns furtos e até crimes com morte.

O mundo inteiro vive o grande pesadelo das drogas. Por toda parte, ouvimos notícias sobre o aumento de seu consumo ou do crescimento do tráfico e do poderio dos cartéis. Se, há décadas atrás, a utilização de maconha, cocaína e LSD, dentre outros, limitava-se a adultos e, raramente, a adolescentes, hoje é realidade também entre as crianças. A verdade é que, tanto nas grandes metrópoles quanto em regiões mais afastadas do País, o vício e o abuso de drogas batem mais cedo à porta da sociedade.

De uma forma ou de outra, a droga é utilizada para camuflar ou tentar aliviar a dor causada pela aparente incapacidade em compreender os próprios problemas. É uma fuga, uma válvula de escape para o indivíduo que ainda não consegue equilibrar e dar sentido às diversas facetas de sua própria existência.

Como posso ajudar na prevenção do uso de drogas de meus filhos?
Na prevenção, várias atitudes dos pais ajudam, tais como: dar amor, carinho, informações adequadas, conversar bastante com os filhos, valorizar o modo deles serem, guiar na busca de ideais, ajuda-los a ter objetivos e metas de vida, ensinar a eles a se auto-valorizarem. Também devem ensinar que há sempre uma solução para os problemas e que há esperança para o futuro. Tudo isto ajuda, sem se esquecer que é importante ensinar a resistir à pressão do grupo, para que o jovem saiba dizer NÃO quando necessário. Tudo o que você puder fazer para criar um ser humano mais saudável emocionalmente, ajudará a evitar o uso de drogas.

A questão é que nem sempre o jovem está disposto a ouvir seus pais. Eles preferem está no meio do grupo de "amigos" que também fazem uso da droga. E essa situação torna cada vez mais difícil aos pais encontrar uma solução para resgatar seus filhos do mundo das drogas. "É um desgosto muito grande e nos sentimos pequeno diante de tal situação, pois não temos força suficiente para resgatar nosso filho(a) desse mundo cruel", relata um pai.

Mas, compreenda que por mais que você faça tudo certo, às vezes a má influência de amigos pode levar ao uso das drogas.

Já está na hora de os administradores públicos, junto com os pais, educadores e toda sociedade, encamparem políticas públicas de orientação para que os jovens possam se desviar do caminho das drogas. Caminho este que, por sinal, não tem volta. E quando se consegue voltar, volta-se com sequelas incuráveis.

oblogdepianco.com.br