quarta-feira, 24 de maio de 2017

Rádio Tabajara: Vergonha para o jornalismo e paga pelo povo




Rádio Tabajara: Vergonha para o jornalismo e paga pelo povoO ato do secretário de comunicação da Prefeitura de João Pessoa, o jornalista Josival Pereira, barrar um jornalista da Rádio Tabajara para uma entrevista coletiva do atual prefeito da capital, Luciano Cartaxo, fez a Paraíba lembrar que: existe um veículo de comunicação que pertence ao governo do estado, que é mantido com dinheiro público, dos nossos impostos, do nosso suor, e que existe quase que totalmente para edificar e jogar confetes no governador de plantão.

Há muito tempo que a Rádio Tabajara é utilizada apenas como ferramenta política do governador de plantão, perdendo completamente a característica de um veículo de comunicação sério.


Criada em 1937 pelo governador Argemiro de Figueiredo, a Tabajara já não faz mais jornalismo há tempos.

A Rádio só serve mesmo para fazer publicidade da - beleza do ocupante da vez - do Palácio da Redenção.

Foi assim com Maranhão, Cássio e está sendo assim com Ricardo Coutinho. É uma vergonha para a classe jornalística ter que se submeter a tal missão. Tudo isso pago com o suor dos paraibanos.

Não que no caso de Cartaxo ele não seja realmente limitado e que não tenha coragem de enfrentar questionamentos mais duros. Afinal, o atual prefeito de João Pessoa não responde a nada que seja mais complexo e não tem posição sobre nada. Luciano Cartaxo nem é carne, nem é peixe.

Todavia, o que tem acontecido mesmo na Tabajara é que toda a estrutura, assim como no jornal A União, existe apenas para fazer o que chamamos de “CHAPA BRANCA”. O que Josival Pereira fez não foi barrar um jornalista, e sim, um agente direto do governo e dos políticos do poder de plantão.

Da superintendência ao jornalismo não escapa ninguém. É uma vergonha.

Me admira apenas um governador que se diz “Republicano”, repetir todo o modelo administrativo dos seus antecessores. De todas as formas e maneiras. De A a Z.

Falar que a Rádio Tabajara faz jornalismo é uma ‘PIADA CARA PAGA COM DINHEIRO PÚBLICO’. Num estado onde falta tudo.