sábado, 27 de maio de 2017

Por trama, MPF denuncia Hervázio, Célio e Sales


Por trama, MPF denuncia Hervázio, Célio e Sales

Percebe-se que o panorama político paraibano está mudando. Alguns cenários mostram isso. Por exemplo: expoentes da campanha à reeleição do governador Ricardo Coutinho (PSB) eram praticamente “intocáveis”. À Justiça não agia contra eles, eis que de uma canetada só o Ministério Público Federal (MPF) enquadrou cinco governistas.

Dentre eles, o deputado Hervázio Bezerra (PSB/Foto), líder da bancada do governo na Assembleia, o ex-secretário Executivo da Comunicação do Estado, Célio Alves, o radialista Sales Dantas e outras duas pessoas. A denúncia tem como base um inquérito da Polícia Federal e trata do caso da armação contra o prefeito de Caiçara (Paraíba), Cícero Francisco da Silva.


Foram acusados de armar um “trote” contra o ex-prefeito Cícero Francisco da Silva, com proposta de dinheiro para aderir a campanha à reeleição do governador Ricardo Coutinho. Cícero apoiava o então candidato Cássio Cunha Lima (PSDB). Chegaram a se passar por um assessor do tucano.

Hervázio e Sales, conforme consta nos autos do processo, escolheram o nome de Waldo Tomé de Sousa, chefe de gabinete do senador Cássio Cunha Lima, à época. A gravação foi realizada e gravada clandestinamente de João Pessoa, cujo teor está contido no texto do Ministério Público Federal.

– Evaldo (nome correto é Waldo) é como trata Sales, se passando pelo assessor do senador Cássio Cunha Lima. “Opa, tudo bem! É Evaldo, tudo bem! Como está o senhor? Cícero responde: “Tudo bom amigo… E o diálogo segue entre os dois.

O procurador Marcos Alexandre Queiroga é quem assina o texto da ação o texto do processo, encaminhado para julgamento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/PB).


Fonte: