segunda-feira, 15 de maio de 2017

Mudança de regras do cartão de crédito derruba juros do rotativo

Para reduzir a inadimplência e os juros cobrados dos consumidores no cartão de crédito, o governo mudou as regras de funcionamento da operação financeira. A decisão é parte de uma agenda iniciada pelo governo Michel Temer para impulsionar a economia, reduzir a burocracia e diminuir o custo do crédito no País.

Com essas novas regras, o rotativo do cartão de crédito, conhecido também como pagamento mínimo da fatura, terá um prazo. O consumidor que optar por quitar a conta apenas parcialmente não poderá ficar nesse crédito rotativo indefinidamente.


Depois de 30 dias, o cliente passa a ter duas opções: pagar a fatura integralmente ou parcelar a conta em até 24 vezes. Apenas no primeiro mês de vigência dessa medida, os juros do rotativo caíram pela metade.

Antes, o consumidor podia ficar no rotativo sem prazo. Para isso, precisava pagar apenas o mínimo da fatura ou um inferior ao total da fatura. Os juros dessa operação, no entanto, estavam entre os mais elevados do mercado e podiam chegar a 600% ao ano. Agora, essa operação se tornou bem menos onerosa para os clientes.

Regras do CMN
A mudança nas regras havia sido anunciada pelo presidente da República, Michel Temer, em dezembro do ano passado, e se tornou definitiva depois de ser regulamentada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) – órgão é responsável por garantir a organização do sistema financeiro.


Portal Brasil