quinta-feira, 30 de março de 2017

Destinação do Lixo Hospitalar é tema de debate na Câmara de Vereadores

Após ser alvo de notícia negativa na imprensa local, a destinação do lixo hospitalar foi tema de debate na Câmara de Vereadores de Patos, durante sessão ordinária.

A vereadora Fátima Bocão usou a tribuna para solicitar do prefeito de Patos Dinaldo Filho, o repasse de informações de como está ocorrendo o serviço de coleta de lixo na cidade.

Ela citou que está recebendo inúmeras reclamações sobre a cobrança de taxas, sobretudo para as clínicas particulares e farmácias.


Fátima afirmou que em conversa com uma médica, ficou sabendo que antes não se pagava nenhuma taxa para o devido recolhimento do lixo, porém, na atual gestão municipal a taxa mínima cobrada está sendo de R$ 195,00 por cada coleta.

Fátima disse que outro problema é como o lixo hospitalar está sendo despejado no lixão, pois os catadores estão a todo tempo correndo perigo de contaminação ou até algo bem pior, como relatou anteriormente a presidente da Associação de Catadores, Maria Nilma.

Fátima Bocão cobrou do líder do governo municipal, vereador Antônio Nascimento, que apresente uma explicação àquela casa legislativa.

Durante seu pronunciamento na tribuna, o vereador Capitão Hugo disse que os resíduos hospitalares têm uma destinação estabelecida por legislação. Ele garante que esse tipo de resíduo precisa ser recolhido por empresa contratada pelo governo estadual, municipal e casas de saúde privadas.

Capitão Hugo ainda disse que na gestão passada a empresa LIGHT recolhia os resíduos sem qualquer cobrança, porém colocava-os de forma inadequada no Lixão de Patos, mesmo existindo uma vala própria para essa destinação.


Patosonline.com