segunda-feira, 13 de março de 2017

Deputado diz que vai 'trabalhar para barrar' união estável entre pessoas do mesmo sexo

Senadores da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovaram nesta terça-feira o projeto de lei para reconhecer a união estável entre pessoas do mesmo sexo e possibilitar a conversão dessa união em casamento. Caso seja aprovado em uma segunda votação no Senado, o projeto segue para a Câmara dos Deputados. O tema, no entanto, parece não ter agradado aos deputados Flavinho (PSB) e Eduardo Bolsonaro (PSC), de São Paulo.

Em uma rede social, Flavinho compartilha uma reportagem sobre a aprovação e deixa claro sua posição contra o projeto:

“Se vier para a Câmara trabalharei contra este projeto que visa destruir a família tradicional formada por homem e mulher.”


Sem citar o projeto, Bolsonaro retuitou uma mensagem em que “lembra” que o dia 8 é o Dia da Mulher e para “homem que usa saia, maquiagem etc: seu dia é o 1º de abril”.

O projeto foi apresentado pela senadora Marta Suplicy (PMDB). A proposta recebeu o voto favorável do relator na CCJ, senador Roberto Requião (PMDB), e aguarda votação em turno suplementar, quando terá decisão terminativa. Se não houver recurso para votação no Plenário do Senado, o projeto segue para a análise dos deputados.


Portal Tambaú 247