quarta-feira, 1 de março de 2017

Deputada Maria do Rosário vai à PF pedir investigação sobre postagens contra sua filha de 16 anos

Divulgação/Agência Brasil
A deputada Maria do Rosário (PT-RS) acionou o corpo jurídico do seu gabinete para redigir um pedido formal de investigação à Polícia Federal para apurar os responsáveis pela publicação de fotos e mensagens depreciativas contra sua filha, de 16 anos. Nas publicações, replicadas em sites e redes sociais, a garota é chamada de “anoréxica” e “usuária de drogas” em mensagens direcionadas à petista, para dizer que a deputada “não tem condições de criar a própria filha”. Maria do Rosário afirma que as fotos, retiradas do Instagram, foram desvirtuadas por meio de legendas maldosas, com a intenção de submeter a adolescente a uma situação constrangedora e depreciativa.


Os assessores de imprensa da deputada informaram já ter feito contato com a Polícia Federal. Neste momento, a equipe de Maria do Rosário examina quais são as medidas adequadas para que os autores sejam “severamente responsabilizados”. Em nota (leia a íntegra abaixo), a deputada se manifestou com indignação sobre o assunto. “Sabemos que todos os pais e mães têm preocupação com a exposição de seus filhos e filhas na internet. Não há dúvida que esse tipo de divulgação manipulada gera efeitos gravemente nocivos de dimensão imensurável às vítimas”, escreveu. “É revoltante que minha filha seja atacada pelas minhas posições e por minha atuação em defesa da dignidade humana. Não permitirei que minha filha seja desrespeitada”, acrescentou.

Em um site que defende a derrubada do Estatuto do Desarmamento, as fotos são apresentadas com textos com ataques à deputada. “Filha de Maria do Rosario, menor de idade, aparece em fotos do seu instagram com anorexia severa e usando drogas. A deputada Maria do Rosário, aparentemente, não tem capacidade de criar a própria filha, mas quer dar pitaco em como outras famílias devem educar seus filhos”, diz o trecho. A parlamentar é uma das principais opositoras da proposta de redução da maioridade penal.

Ministra da Secretaria de Direitos Humanos no governo Dilma, Maria do Rosário já foi alvo de ataques na internet e na própria Câmara por causa de sua militância na área. Em 2014, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) declarou, no plenário, que a colega não merecia ser estuprada porque considerava ela “muito feia”. Na ocasião, elesPor causa dessas declarações, que geraram pedido de cassação na Câmara, Bolsonaro virou réu no Supremo por apologia ao crime de estupro e injúria. O processo está no Supremo Tribunal Federal (STF).

Confira a íntegra:

NOTA PÚBLICA
Minha filha está sendo vítima de criminosos nas redes sociais. Como mãe não medirei esforços para protegê-la, como faço todos os dias da minha vida. Já tomei as medidas cabíveis e estou fazendo todas as denúncias possíveis para que os bandidos que atacam minha família sejam identificados e severamente responsabilizados. Nenhuma família merece passar por isto.
Eu e o meu esposo Eliezer Pacheco estamos indignados e repudiamos com veemência os atos criminosos de quem manipula imagens e informações, expondo uma menina de 16 anos.
Sabemos que todos os pais e mães têm preocupação com a exposição de seus filhos e filhas na Internet. Não há dúvida que este tipo de divulgação manipulada gera efeitos gravemente nocivos de dimensão imensurável às vítimas.
É revoltante que minha filha seja atacada pelas minhas posições e por minha atuação em defesa da dignidade humana. Não permitirei que minha filha seja desrespeitada.
Aos que têm o objetivo de me prejudicar e atingir minha família, afirmo que não conseguirão.
Maria do Rosário”

OBlogdePiancocanco.com.br
Fonte: CongressoemFoco