quinta-feira, 23 de março de 2017

IG do Arroz Vermelho em debate na cidade de Santana dos Garrotes

O Vale do Piancó é uma área no sul do estado da Paraíba, famosa por sua produção de arroz vermelho, uma variedade da espécie Oryza sativa. Esta variedade, que foi introduzida pelos portugueses no século XVII, é plantada e consumida nas regiões semi-áridas do nordeste do Brasil. Além da cor, o arroz vermelho se distingue do arroz branco por seu sabor incomum. Nas últimas décadas, como resultado da disseminação da urbanização e da crescente popularidade do arroz branco, o cultivo do arroz vermelho caiu dramaticamente — em um terço, só no estado da Paraíba. A comunidade envolve cerca de 5.000 produtores de pequena escala, que cultivam pequenas glebas. Parte do arroz plantado é consumido pelas famílias dos agricultores e o restante é vendido localmente. 
 
Pensando no resgate dessa cultura, a  Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap) com a EMATER-PB, escritório de Santana dos Garrotes, realizaram neste dia 21, na Câmara de Vereadores dessa cidade, Debate sobre a Cadeia Produtiva do Arroz Vermelho no Vale do Piancó, com a presença de prefeitos e secretários de agricultura de várias cidades da região.

Há alguns anos, o Senar da Paraíba e a Faepa (Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba) firmaram parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), para execução do projeto da IG – Indicação Geográfica – para o Arroz Vermelho no Vale do Piancó. A IG representa o selo de garantia dado a um produto de acordo com sua origem e suas características regionais. A partir da IG, o Arroz Vermelho do Vale do Piancó passa a ser identificado como originário daquela região, com características e qualidades vinculadas a sua origem. O projeto não teve um resultado positivo e agora é retomado pela SEDAP e EMATER.

Nessa nova etapa, as discussões realizadas essa semana, retomam o projeto do IG (Indicação Geográfica), com o apoio da SEDAP e EMATER-PB e prefeitos de quase todo o Vale, especialmente das cidades de Olho Dágua, Piancó, Nova Olinda, Pedra Branca, Itaporanga e Santana dos Garrotes. 

A fim de reconhecer a área de produção e verificar as condições técnicas dos produtores de Arroz Vermelho do Vale do Piancó, essa nova proposta, com uma visita a região pelos representantes das entidades participantes,  pôde-se observar que no Vale são produzidas basicamente 03 variedades de arroz vermelho: o arroz vermelho comum, o kaki que é o mais usado por não ser perseguido pelos pássaros e o arroz vermelho maranhão. Constatou-se que não há uma padronização para o plantio e que os produtores não conseguem formalizar as diferenças benéficas de cada uma destas variedades. 

A Sedap, trabalha em sintonia com as instituições governamentais e não-governamentais, incentivando o desenvolvimento por meio da interiorização das ações estratégicas implementadas por seus órgãos vinculados: Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater); Empresa Estadual de Pesquisa e Agropecuária da Paraíba (Emepa); Empresa Paraibana de Abastecimento e Serviços Agrícolas (Empasa); eInstituto de Terras e Planejamento Agrícola da Paraíba (Interpa). 

O Vale do Piancó já foi considerado o maior produtor de Arroz Vermelho do Brasil e é de extrema importância o seu resgate e a sua valorização tanto pela cultura quanto pela culinária diversificada. O projeto atual visa gerar informações para estimular o turismo gastronômico na região ampliar a geração de renda dos produtores locais, utilizando-se de meios modernos como a internet, a partir das redes sociais e blogs, para divulgar e incentivar novas formas de consumo do arroz vermelho.



Antonio Cabral (DRT-PB 3085)
OBlogdePianco.com.br
Imagens/Créditos: Paulo Foto Digital