terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Réu da Lava Jato, Maluf e o deputado do confete estão entre os mais faltosos na Câmara

Reprodução/Agência Câmara
Réu desde dezembro no Supremo Tribunal Federal, acusado de corrupção e lavagem de dinheiro, o deputado Aníbal Gomes (PMDB-CE) esteve com as atenções voltadas mais para o Judiciário do que para o Legislativo em 2016. O peemedebista compareceu apenas 20 vezes nos 66 dias em que a Câmara realizou sessões destinadas a votação no período em que ele exerceu o mandato no ano passado. Mesmo com 46 faltas (69,7%), o deputado escapou do desconto no salário em 39 ocasiões, quando apresentou justificativas (a maioria para tratamento médico). Aníbal foi o parlamentar com mais ausências proporcionalmente ao número de sessões de que deveria participar. E o segundo no total de faltas acumuladas. Ainda assim, ele gastou R$ 154 mil da cota para o exercício da atividade parlamentar. Desse total, R$ 60 mil foram desembolsados apenas com passagens aéreas, inclusive nos períodos em que ele faltou às sessões em Brasília. 
 
Só a deputada Elcione Barbalho (PMDB-PA), que somou 49 ausências, faltou mais. Os dados são de levantamento do Congresso em Foco. Das 40 justificativas apresentadas por Elcione, 30 foram de licença para tratamento de saúde e outras dez para participar de missões autorizadas pela Câmara. Assessores da deputada explicaram que ela teve complicações depois de ser diagnosticada com infecção urinária. O quadro evoluiu para uma pielonefrite – doença que afeta a funcionalidade dos rins –, o que, de acordo com o gabinete, a deixou bastante debilitada.

Na lista dos mais faltosos de 2016, também estão dois deputados com histórico de polêmicas: Paulo Maluf (PP-SP) e Wladimir Costa (SD-PA). O ex-prefeito de São Paulo, que coleciona acusações criminais na Justiça e já virou até símbolo de campanha internacional sobre corrupção, faltou a 42 dos 94 dias em que houve sessão deliberativa na Câmara. Maluf atribuiu 25 ausências a problemas médicos; e outras duas a participação em missões autorizadas. Quinze aparecem, ainda, sem justificativa.


Continue lendo clicando AQUI!